22 de mar de 2011

The Priest They Called Him


Era uma vez um garoto chamado Kurt Cobain e um tiozinho chamado William Burroughs. Separados por nunca terem se conhecido - até se conhecerem -, um criou uma banda influenciada por punk, Pixies e otras cositas más; já o outro gostava de escrever e viajar o mundo a procura de experiências psicotrópicas e venenos e foi um dos escritores mais influentes do movimento beatnik. Dois beats, juventude e sabedoria unindo-se em duas mentes perigosas para distorcer o "feliz" do natal - se é que ele um dia existiu.



Fã da literatura beat e tendo William Burroughs como um "heroi", o guitarrista e o escritor só se encontraram depois da insistência de Kurt e do The Priest They Called Him, história de 1973 na qual Burroughs narrou com sua voz velha e chata para que a guitarra pertubadora de Cobain entrasse posteriormente ao fundo dedilhando Noite Feliz. Isso foi em 1992, dois anos antes da morte do líder do Nirvana enquanto quatro anos ainda restavam para o vovô sinistro.


Vocês sabem quem é na capa?


E essa é a história do raríssimo vinil, depois lançado em CD, sobre o "Sacerdote", um viciado em heroína que busca a redenção na noite de natal ajudando a curar as dores de um garotinho mexicano aleijado com suas "medicinas" e morrendo logo em seguida com a "injeção imaculada", parafraseando o escritor. Simplesmente foda.






Nenhum comentário: