12 de mai de 2010

The Saboteur


Saboteur é um jogo de X-box 360, Play 3 e PC, que conta a história de um irlandês ex-corredor de carros, que busca sua vingança no meio de Paris dominada pelos nazistas, Sean Devlin é o nome do nosso herói que ajuda a resistência francesa a lutar contra os nazis repressores.

A estética do jogo procura brincar com as cores, deixando tudo preto e branco onde é dominado pelos nazistas, dando uma cara de cinema noir, e apenas o vermelho dos nazis e o azul da resistência aparecendo no ambiente preto e branco. E quando você libera certo "bairro" dos nazis a região ganha cor, e deixa Paris com uma cara de "viva", essa parte é bem bonita.


Basicamente Saboteur é um jogo estilo GTA, mas você tem que sabotar qualquer coisa nazista na cidade, e tem MUITA coisa, e por incrível que pareça, não é chato fazer essa pequenas missões, é até divertido, diferente de jogos como Spider-man que é sempre um "porre" ficar fazer missões extras.
Saboteur resolve bem isso com seu sistema de PERKS, que seria como o personagem "evolui", e vai ganhando novas habilidades, os Perks são aberto de acordo com a critividade que você tem em matar ou fazer certos tipos de missões, o que eventualmente você acaba fazendo, a maioria pelo menos, e acaba sendo uma evolução natural.

A história de Sean é contada de forma bem rápida, e somente nas missões onde há flashbacks, ou "cutscences", há missões opcionais e também as extremamente opcionais, que são por exemplo explodir um alto-falante de propaganda nazista, ou destruir antenas e tanques nazistas, e você ganha dinheiro a cada vez que faz um dessas mini-missões que estão por toda a Paris.

Sean tem seu "QG" nos fundos de um bordel.
Muitas pessoas dizem, e isso inclui o site Gamespot, que é muito chato ficar fazendo todas as "missõesinha", mas com os perks elas vão ficando cada vez mais fácil e rápido de se fazer, ou então utilizando armas nazistas nos telhados nas casas, o que acelera muito o processo se você quer fazer 100% do jogo.

No jogo praticamente não há cenas (filminhos) com gráficos melhores do que o gameplay, e não se sente a falta disso.


E uma das coisas que me chamou a atenção foram as conversas que muitas vezes são boas, e claro, as frases que ele fala quando morre que vão ficar marcadas na sua cabeça, como: Shait! que é como ele fala Shit.
Resumo da ópera, é um jogo bem divertido, com uma história boazinha e uma dinâmica muito boa, pois não te deixar enjoar fácil dele.

Veja o Trailer.

Nenhum comentário: