24 de ago de 2010

Criolo Doido - Espaço + Soma 21/08/10


Primeira resenha sobre show de rap aqui no blog e sinceramente não poderia começar melhor, se não fosse com uma grande figura do hip-hop nacional.

Criolo Doido: fundador da Rinha dos MCs (evento que reúne rappers em batalhas de rimas improvisadas e exposições de arte urbana), educador e Mestre de Cerimônia mais uma vez mostrava suas rimas afiadas no Espaço + Soma localizado nos arredores da Vila Madalena, reduto boêmio da cidade de São Paulo.

Eram mais ou menos 18 horas quando saí de casa para me encontrar com o Ale e a Jeh pra pegar a câmera que eu iria filmar parte do show. O encontro durou tempo o suficiente pra que eles me explicassem como se manuseava a dita cuja, que mais tarde me causou alguns pequenos problemas, por causa de uma lag no sistema, mas nada que eu não pudesse dar um jeito.

Pois bem, feito isso, parti pra Vila Madalena encontrar com meu amigo jornalista e motolouco Yuri Kiddo. Já por volta 19h30 quando nos encontramos na entrada da casa. Fomos umas das primeiras pessoas a entrarem no local, cheguei a pensar que o show ia ser um fiasco de público, mas logo vi que tinhamos chegado cedo demais, tanto é que o Criolo ainda estava fazendo teste de áudio junto com o DJ e o Dan Dan.
Passadas algumas horas, o público começa a aparecer ao poucos e entrar na pista pra balançar os esqueletos com a ótima seleção de músicas do DJ. Músicas de Tim Maia, Nação Zumbi e Cypress Hill ajudaram a galera a entrar no clima da noite, Criolo Doido também estava envolvido pelas batidas frenéticas que saiam das caixas de som.

Algum tempo depois, aproximadamente 21h30 da noite, o MC sobe ao palco para mandar o seu recado junto com o Dan Dan, que se encarregava de agitar o público enquanto o DJ introduzia o show com É o Teste, que, para mim, é a melhor música do álbum Ainda Há Tempo, conquistando assim o público logo no início.


Depois ainda veio Chuva Ácida, do mesmo álbum e a inédita Grajauex, cujo refrão era sustentado pela voz vibrante de Dan Dan.

Outra música que tocou e se sobressaiu pela voz de Dan Dan foi No Sapatinho, que possuí uma sonoridade descontraída, assim como a própria personalidade do DJ durante o show.

Diferente da No Sapatinho, a música seguinte foi Sucrilhos, minha música favorita das semi-novas. A música é carregada por um beat pesado que acompanha a voz séria de Criolo, que no refrão contracena com a sagacidade do DJ.


Além disso ainda veio Vasilhame, música que aborda as conseqüências do álcool na vida de uma pessoa, essa também é uma das semi-novas e foi acompanhada pelo coro do público, que mostrava estar com essa na ponta da língua.

Pra finalizar, ainda veio Cerol, música que terminou com uma emocionante a capella de Criolo Doido, que levou o público ao delírio.






Fotos por FEL

3 comentários:

Gigo disse...

valeu felipe baitolinha, boa resenha

joão disse...

justifica o texto não machuca ninguém né galerinha

UnderKrew disse...

A real é: o texto TÁ justificado.