23 de out de 2010

Voando de graça e ao vivo com A Banda de Joseph Tourton - CCSP 21/10/10

Foi em 23 de outubro de 1906 que Santos Dumont levantou voo pela primeira vez com seu 14 Bis e se datou no Brasil o Dia do Aviador. Logo, em comemoração, não poderia falar de ninguém menos que A Banda de Joseph Tourton.


Lembra há uns textos atrás quando disse que eles fariam show DE GRAÇA no Centro Cultural São Paulo em 21 de outubro?! Pois é, se você esqueceu, 301 pessoas não e puderam contemplar um bom show no final do expediente, o 4º deles em São Paulo.


16 Minutos abriu o show dos jovens garotos. Em conversa com o multiinstrumentista Gabriel Izidoro (guitarrista, flauta e escaleta), 19, tirou a minha curiosidade e disse que a maioria das músicas são feitas em jam, ou seja, no improviso, se juntando e deixando rolar. E a 16 minutos (que tem na verdade 5 minutos e 24 segundos) foi a primeira música da banda, resultado de uma dessas sessões, e adivinhem quantos minutos tem a versão bruta?


O som é muito maduro e introvertido. O show tem a segunda característica e a presença de palco ainda parece estar em segundo plano para os garotos que parecem se preocupar mais com a música em que estão tocando. Ainda falta algo no ao vivo, mais desenvoltura e desenvolvimento musical, talvez.


Sobre a escolha de uma banda instrumental, Gabriel diz que “simplesmente aconteceu. Ainda não apareceu um vocal mesmo, Ninguém da banda despertou isso também”. Mas isso não parece ser uma preocupação, pois A Banda de Joseph Tourton tem a consciência de que “a música é livre, velho” e isso é o mais importante. Sobre as influências, “toda música é influência”, aí eu não perguntei mais nada, estava ótimo saber que o pensamento é esse.


O pianista pop‐erudito Vitor Araújo fez uma participação especial tocando o piano elétrico Fender Rhodes entre caretas sorrisos e muita competência nas músicas A Festa de Isaac e 100M. Essa última surgiu de outra banda que eles tinham chamada Stage One. “Era uma banda emo nada a ver, era morgado, era ruim. Mas essa música era boa e a gente quis aproveitar. Tinha esse nome mesmo, 100 metros, mas não sei por quê”.


Muito aplaudidos, a banda deixou um gostinho de quero mais e o pessoal até ficou esperando, mas não aconteceu e #3 fechou em grande estilo a apresentação de oito músicas.


Em turnê com a banda argentina Falsos Conejos, o Joseph Tourton tocou no mesmo dia no Studio SP, junto com Macaco Bong, participando do coletivo do Circuito Fora do Eixo. Mas eu tive que ir pra casa dormir.

Setlist
16 Minutos
Lembra o Que
Triunfo de Salomão
Provolone
A Festa de Isaac
100m
Aquaplanagem
#3

Fotos: Yuri Kiddo

Um comentário:

brunna disse...

curti o texto, ficou muito bom.

só pra reforçar, esses meninos são bons mesmo, viu.