28 de set de 2010

O Cheiro do Ralo



Bom, é isso... Semana ainda começando e sempre é bom curtir um filme depois de chegar de um dia cansativo. Vim hoje falar do filme O Cheiro do Ralo, lançado em 2007 e dirigido por Heitor Dhalia, com roteiro de Marçal Aquino e do próprio Heitor, baseado no livro homônimo de Lourenço Mutarelli. Como protagonista do filme, o bom ator Selton Mello, que diz ter feito o papel de sua vida.

O filme é realmente muito bom, roteiro incrível, diálogos afiados e bem pensados de forma natural, atuação impecável e, além de tudo, o filme tem o que podemos definir como uma "atitude" underground no meio do cinema. O filme foi produzido pela equipe técnica, que se juntou e abriu uma sociedade e, mesmo sem produtora, realizaram a obra. Selton Mello não cobrou cachê para atuar no filme e, além do que eu tinha citado sobre o papel de sua vida, ele também era um dos sócios e participava da produção do filme.

O filme conta a história de Lourenço, um homem que enriqueceu comprando objetos usados de pessoas em dificuldade financeira. Com o tempo, ele pega obsessão por esses objetos, deixando de se importar com a qualidade de objeto e sim com o valor sentimental deles para a pessoa que os vendia. Junto dessa obsessão, ele também sente prazer em poder comprar tudo e poder estabelecer preço em tudo, sendo que quanto mais desesperada a pessoa estivesse, menos ele tentava pagar em seus objetos. Além desse prazer mórbido, Lourenço sofre com o cheiro de um ralo no fundo de seu escritório, que o incomoda e acaba deixando-o dentro de uma paranóia em que a cada cliente que entra em seu escritório ele comenta sobre o cheiro.

Durante o filme todo, Lourenço se mostra um homem solitário e a única coisa que realmente parece lhe agradar é dinheiro e o desespero dos outros, não mostra sentimentos por ninguém, a não ser pelos seus objetos, até que ele conhece... a Bunda! Segundo o próprio, ele podia passar a vida inteira só olhando pra aquela bunda. Lourenço se apaixona pela garçonete de uma lanchonete onde ele freqüenta, se apaixonou pela bunda e não pela mulher. Com a bunda não poderia ser diferente, ela seria mais um objeto para sua coleção, então ele não poderia apenas conquistá-la, mas sim, comprá-la.

O Cheiro do Ralo é um filme um filme ousado, diferente e singular, Lourenço sempre tentando explicar, tentando mostrar que aquela podridão não vem dele, disso surge um dos diálogos mais impressionantes do filme.

Um personagem intrigante que deseja botar preço em tudo o que deseja e por isso o cheiro o incomoda tanto, o cheiro representa sua podridão que ele tanto nega, porém sempre o acompanha, e realmente se ele é o único que usa o banheiro, de onde vem o cheiro?




Site Oficial

Nenhum comentário: