28 de out de 2010

Zander, Dominatrix e Plastic Fire - Inferno Club (24/10/10)


E aí galera, aqui é o Ale falando! Domingo fomos cobrir o lançamento do CD Brasa, do Zander, no Inferno Clube aqui em São Paulo. Para isso, organizaram um show junto com duas bandas também cariocas, o Plastic Fire e as meninas do Dominatrix.
Tivemos alguns problemas na hora de escrever a resenha e cada um fez uma parte, sendo o Fel falando sobre o Plastic Fire, o Gigo sobre o Zander e eu fazendo as ligações e falando sobre o que aconteceu no show do Dominatrix.
Tudo explicado, então vamo lá! Depois de dar um rolê do Butantã até Santo Amaro, eu e o Fel fomos pra Augusta, onde encontramos o Gigo e o nosso antigo colaborador, Mako, que foi curtir um show preza com a gente.
Entramos eu e Fel na casa, enquanto os outros dois esperaram do lado de fora, trocando uma idéia com amigos. Em pouco tempo, começa o primeiro show.


Na sua quarta passagem em palcos paulistas, a banda Plastic Fire, uma das promessas do hardcore nacional, abriu as honras da casa com a música Há o Amanhã para o púbico que começava a lotar gradativamente a casa. Isso incluía a presença do vocalista Rodrigo, do Dead Fish, que se misturava entre as pessoas que observavam atentas os cariocas fazerem uma apresentação totalmente desinibida e segura de si.

A banda tocou cerca de 30 minutos, mostrando praticamente todas as músicas de seu álbum Existencia Parcial e até um cover da música A Fight and a Clash, dos americanos do Hot Water Music, pra levantar o público. Por fim o quarteto finalizou com a ligeira Futuro, sucedida pela Negativo, música que teve interação do público com um coro tímido entre cada refrão.


Nessa hora, fomos gravar uma entrevista com os caras da banda, mas, depois de vários pequenos problemas, como onde filmar, locais proibidos pra quem não fazia parte de bandas, etc, acabamos tendo de filmar a entrevista do lado de fora da casa e acabamos perdendo o show do Dominatrix, que, falando depois com nossa fotógrafa Karen, fã da banda, fez um show foda, alto, pesado e bastante forte. Durante a nossa conversa com os Plastic Fire, os mesmos falaram que queriam ver um show das meninas, já que o som é bem pegado.

O show do Zander começou por volta das 20:30, cedo mesmo, achei isso bom. Os caras sobem no palco e logo se nota a ausência de Phill, que, além de guitarrista do Zander também toca no Dead Fish. Por causa disso, nem sempre rola um encontro de agendas, fazendo com que a banda carioca já esteja acostumada a tocar sem um de seus guitarristas, mas nesse dia eu tinha certeza que eu já tinha visto Phill por ali.


O show começa com Como Arde, Sô!, música animada com uma bateria mais animada ainda, dando chance pros mosheiros de plantão já começarem o show dando um gás. Nessa hora eu tava lá no meio e deu pra curtir umas porradas de boa, mas como tô velho e já tinha me matado na sexta-feira em um show do Dead Fish, saí da roda e fui ver o show de canto, como de costume.


O show foi pesado, rolo música pra caralho, o set tava enorme mesmo, os caras mesclaram bem músicas de todos os CDs e deu pra rolar muita coisa boa. Do novo CD, o Brasa, que estava sendo lançado no dia, músicas como Humaitá, Motim e Linha vermelha, que são mais animadas, não podiam deixar de rolar. Meia Noite, uma das mais "baladas" do CD também rolou.


Um cara que tava curtindo o show aproveitou e entregou um bilhete pro Bil, pedindo pra que ele oferecesse a música Dialeto pra sua garota. Depois disso eu não sei porque tava de longe, mas o Ale que tava ali do lado disse que deu certo e a menina ficou bem feliz.
Simples Assim também rolou e Sunglasses, uma música que eu tô ligado que uma galera tava esperando ver não rolou. Auto Falantes não ficou de fora enessa a galera pirou mesmo.


Do segundo cd rolou também Ponte Aérea, uma das minhas favoritas, e Senso e do primeiro, Pólvora, Dezesseis, música que todo mundo sabe cor e canta forte, Em Construção, outra que a galera já tinha de cor, acompanhando o Bil durante a música toda. E ainda uma surpresa: os caras fecham o show com Ar, mas a surpresa não vem daí, já vi os caras fechando show com essa música. A surpresa é que o Bil chama o Phil pra tocar essa música e o maluco faz seu trampo como o esperado, toco pouco ele viu!

Fotos por Karen Lusvardi
Vídeos por Ale e Mako
Veja mais vídeos aqui

Nenhum comentário: